Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Minha vida a Nu

Toda a nossa vida pode ser escrita, contada, relatada, silenciada. Cada um pode decidir... Assim, decidi eu, transmitir uma das muitas histórias que há para contar... Vale a pena? Talvez, porque a minha história pode ser a sua...

Minha vida a Nu

Toda a nossa vida pode ser escrita, contada, relatada, silenciada. Cada um pode decidir... Assim, decidi eu, transmitir uma das muitas histórias que há para contar... Vale a pena? Talvez, porque a minha história pode ser a sua...

Hoje é dia de sonhar...

1418595545171.jpg

*** Texto editado por Pi Sousa Pires 

Hoje pediram-me que escrevesse um poema…
Ou uma prosa… ou uma qualquer história cheia de palavras…
Mas hoje sinto que não sou capaz! A última noite não sorriu para mim. Estou… cansada de palavras… E esgotada das pessoas…
Qualquer poema, hoje… sairia uma pobre troca de palavras que até poderiam rimar… mas sem rima.
Tudo aquilo que me envolve… faz-me querer ganhar um sonho de um sono bem dormido… Daqueles em que acordamos… sentindo uma enorme ânsia de abrir a janela… e de ver… o sol ou até mesmo a chuva… mas, ver e sobretudo, sorrir… sorrir, porque é mais um dia… mais um dia que nasce… nesta hora de querer imensamente que chegue…
Tenho tanta, tanta vontade de ver… de voltar a ver o Mundo…
Mas hoje… quero adormecer… e ter um sono suave… que me faça levantar com a sensação de que… a vida me deu outra oportunidade…
E constatar que, afinal, tudo não passou de uma mancha negra deste «dia»…
Logo eu… que gosto de abraçar toda a gente… a minha gente!
Gosto tanto de… poder tocar… de limpar lágrimas… de acolher no meu modesto coração todas as almas tristes… e tentar dar-lhes força… aquela força que tantas vezes até a mim me falta… mas… dar… dar sem me importar que isso possa ofuscar os meus problemas… Quero lá saber dos meus problemas! Quero é ir conseguindo resolver… os dos outros. Os problemas dos outros sempre me atingiram e magoaram mais do que os meus próprios problemas…
O que vai ser do meu futuro? O que poderá vir a ser o meu futuro?...
Não podendo ser «eu». Hoje é um dia para tentar… esquecer.
Quando não podemos ser o que somos… que poema… poderíamos escrever? E sem que nós… sejamos a rima!
E… o Mundo… não espera palavras! A toda a hora me enviam palavras!!!... Centenas de mensagens… dessas correntes sem fim… mas já vos avisei… que esse «plim»… deve ter… um mínimo de conteúdo. E não me deixar revoltada com o Mundo que não se ouve a si próprio!... Que estraga tudo…
Hoje só quero dormir… Preciso imenso de dormir… E sonhar… sonhar com a vida que me está destinada… e acordar… suficientemente feliz para a querer viver… e por poder vivê-la! E… vá lá… por merecer vivê-la!...
Quantos não se questionam acerca da minha felicidade?
Mas quantos é que se debruçam sobre a felicidade deles próprios?!...
Pois…
A vida parou para muitos… mas para mim também! Todos os problemas que surgem são… sempre piores para nós… do que para o «nosso vizinho».
É raro encontrarmos alguma solidariedade… Parece que estamos presos, porque temos medo que «algo» nos possa atingir!!! Mas não nos devemos sentir presos… para proteger alguém… mesmo que seja desconhecido…. Porra para todos!
Mas… será assim tão difícil aprender a lição que a vida vos dá?
Para mim não é… E eu sei, acreditem que sei… que a minha vida não vai melhorar… Eu… eu sou o que sou. Quem me lê… já me sentirei satisfeita se me tiver entendido. E se não entenderam… é porque nunca precisaram de abrir as asas e voar no desconhecido… de saltar de penhascos… de se atirar sobre um nada… sobre um… lugar… vazio… sem sequer saber o que irá encontrar… quando nele pousarem os pés.
A vida já me deu tudo… e nada. Porque o meu grande mal sempre foi o de a ouvir…
E, muito sinceramente… nem me interessa se morro hoje… se vou morrer amanhã… ou noutro dia qualquer… Quero apenas que, «nesse dia»… Deus esteja bem-disposto e me receba!...
Sinceramente, aborrece-me tanto… o Mundo… e por isso… não me apetece escrever nenhum poema… nem nenhuma prosa… ou qualquer outra história...
Hoje…
Hoje… dei por mim… sozinha.
Sozinha no meu Mundo.
Que dor esta a minha!
Que sono profundo…
Mas… que mal tem sonhar?
Magoa-me tanto o Mundo!
E é tão triste este sono de sonhar…
De querer acreditar…
Não em mim…
Mas no Mundo!
Mas… como posso eu sossegar?
Se a cada segundo que passa…
Mais uma mensagem para apagar!...
Querem o Mundo?
Esse vosso desejo…
Não tem de ser perfeito.
Sejam vocês próprios o Mundo!…
Que mal tem em lê-lo?
Escolham o vosso próprio segundo.
Terão o sono…
E, quem sabe… o Sonho…
Por direito próprio!
Parar… Sossegar… Aceitar…
Recuperar… Abraçar… Amar.
É tudo o que parece já não existir…
Neste e no outro Mundo…
O que provavelmente apenas persiste é…
O saber sermos profundos...
Já nada me faz alegrar nestes dias… Todos são… solidários com o egoísmo… e todos acabam por se magoar a si próprios…
E, hoje… sem palavras, poemas ou histórias… o que rima em mim… sou eu… e logo eu… um ser pelos vistos nefasto ao Mundo… por lhe querer tão bem…
Não quero rimar…
Provavelmente ainda faltará muito… muito mesmo… para que eu consiga a rima que o Mundo gostaria de ouvir…
Não se trata do que damos ao Mundo… É sobretudo a forma em como nos damos… em como respeitamos… ou desrespeitamos o outro… mais ou para além de nós próprios…
Ser do Mundo e não lhe pertencer!… Ou não merecer pertencer-lhe!…
Esse sono de sonhar… Será imensamente meu… E tão profundo como eu… e que ocorra no lugar… que eu tenha escolhido… e que será só meu…

https://youtu.be/UEbLMrtQPg8